E o prémio de melhor comentário de sempre vai para...

21.5.13
O Anónimo 21 Maio, 2013 17:39, pois claro.

"Sois todas passadas,coitados dos filhos que têm mães assim,ide trabalhar que o GASPAR agradece..........Já me esqueçia não gostas de trabalhar."

18 comentários:

  1. esqueÇia, com Ç? o melhor é ir estudar antes de mandar os outros trabalhar :p

    ResponderEliminar
  2. ah,ah, ah!
    eu gosto de anónimos :)
    devo ser a unica, mas divirto-me imenso!!

    ResponderEliminar
  3. Mais um português que destila a sua raiva sob anonimato. Tu é que merecias o prémio Calita, ajudar um português trabalhador é um grande feito!
    Os que vejo pelos blogs são mesmo um must.

    ResponderEliminar
  4. :))) a net é só pessoal mal passado!

    ResponderEliminar
  5. AAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!!!!.....(paro)....(não consigo parar!)AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!!!

    Sofia ( porque não consigo comentar de outra forma!)

    ResponderEliminar
  6. este anónimo escreve como o diácono dos remédios ... quem é que diz "sois"? :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A gente do norte carago ....os mouros nao sabem é conjugar os verbos !!!!



      Carla Pires do Porto !!!Agora vou trabalhar....Catita gosto mto do que escreve !!!!

      Eliminar
  7. Red Nude: muita gente no Norte. Pelo menos isso confirma que TAMBÉM há morcões a norte do Mondego :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os morcões são como as ervas daninhas crescem por todo o lado, garanto-te eu tripeirinha desde q nasci ;-)

      Eliminar
  8. apesar de ser um bocadinho chato dizer isto e até injusto tenho a certeza em alguns casos, mas pelo q leio nos blogs não considero os filhos muito afortunados de mãe e pai.. ha de tal forma arrogancia , vaidade, complexos de superioridade, solidão.. q eu pelo menos não acredito q pessoas assim sejam capazes de formar um lar feliz

    ResponderEliminar
  9. F@%#-se!! Não gosta de trabalhar e ia ter 3 filhos??? Nota-se que quem fez esse comentário não tem filhos..

    ResponderEliminar
  10. Detesto trabalhar. Não o trabalho em si, mas as longas horas, a vida de escritório, os "colegas" e os restantes acessórios que o trabalho parece trazer. Mas sempre que o digo, mais ou menos explicitamente, sinto-me sacrílega. Aparentemente, é pecado nos dias que correm...

    ResponderEliminar