Como sobreviver três semanas e meia desligada em seis passos

30.11.10
1) ocupar o tempo com outras coisas, tais como: tirar todas as mobílias, roupas, louças e tralhas várias de uma casa e passá-las para outra.

2) ficar ligeiramente deprimido e/ou mesquinho sem vontade de saber o que se passa, porque afinal de contas toda a gente tem vidas magníficas e faz coisas extraordinárias, enquanto nós tentamos secar roupa num estendal que não funciona.

3) confirmar, junto de uma pessoa próxima, quantos comentários temos no blog para ficarmos a saber que estar aqui ou não estar é absolutamente igual ao litro.

4) convencermo-nos (e isto exige algum esforço) que o herpes labial, a gravidez que vai quase a meio, o bebé a dizer MAAAAIIINHE e PAAAAIII e os livros que lemos são coisas que só interessam a nós e, algumas delas, a mais meia dúzia de pessoas que podem telefonar a perguntar.

5) definir objectivos interessantes, como contabilizar as despesas mensais, e, depois de somados todos os recibos, descobrir que num mês foram gastos 559,73€ no supermercado e 175,9€ em refeições fora de casa.

6) ir dormir às 10h da noite.

6 comentários:

  1. Eu venho aqui dia sim, dia não. A minha vida precisa um bocadinho da tua para ser interessante. As fotos de família feliz na quinta são encenações, claro. Quando formos velhinhos e desmemoriados, vamos olhar para aquilo e pensar "Como fomos felizes!" e não "Como éramos tão novos e nos aborrecíamos tanto com a vida" ou ainda "Como discutíamos tanto por palermices em vez de namorar como se não houvesse amanhã". Criar canalha que nos consome os miolos e o tempo, gastar dinheiro que podia ser de bilhetes de avião em supermercado e dormir às 10 da noite também pode ser uma forma de felicidade. Pelo menos, quando formos velhinhas e tivermos fabulosos álbuns de família cheios de fotos de criancinhas lindas com gorros e galochas.

    ResponderEliminar
  2. nao é nada igual ao litro, estares oiu nao estares! eu venho aqui quase todos os dias... mas nunca comento, como sabes... e fui tendo a paciencia, porque o avisaste, e confirmaste ao telefone, que estavas a viver a bela aventura de estar "desconectada". os livros que tu les, o teu herpes (bom, este nem tanto) a tua vida, tu, voces, interessam-me muito.

    ResponderEliminar
  3. Ahahahahah. Dora, é mesmo isso. Panadita, eu caí aqui de páraquedas mas gosto de te ler.

    ResponderEliminar
  4. Até eu, que mal sei o teu nome, senti a tua falta...
    Gosto do espírito destas coisas que aparecem por aqui!
    Um abraço ou o que quer que seja que se manda a uma desconhecida...

    ResponderEliminar
  5. Sou Carla, Maria David, mais conhecida por Calita. Um abraço (eu adoro abraços) também para ti.

    ResponderEliminar